Beach clubs a serviço do bem-estar em Guarujá

No final da década de 60, início dos anos 70, a cobrança de pedágio nas estradas federais estava sob a administração do Departamento Nacional de Estradas e Rodagem – DNER. Sob a ótica dos contribuintes, uma despesa difícil de aceitar; já que os valores pagos deveriam manter boas condições das pistas (asfalto, sinalização e vigilância rodoviária) e, também, servir para o poder público oferecer segurança aos motoristas (guinchos, primeiros socorros e telefones para ligações de emergência).

Apenas duas décadas depois, em 1993 deu-se início ao Programa de Concessões de Rodovias Federais. De lá pra cá os mecanismo de regulação das concessões evolui e inclui como responsabilidade das concessionárias executarem serviços de recuperação, manutenção, monitoração, conservação, operação, ampliação, melhorias e exploração.

Os resultados alcançados no âmbito do estado de São Paulo, que possui a melhor malha rodoviária do país, contribuem com desenvolvimento econômico e social no âmbito dos municípios que compõem diferenciadas e atrativas rotas cênicas e circuitos turísticos — ambos beneficiados pela qualidade do acesso ofertado para o transporte de pessoas e mercadorias.

No setor de telefonia também observamos avanços. Hoje, ligações gratuitas estão ao alcance de todos que possuem um smartphone – o que contrasta com o elevadíssimo preço de uma única linha telefônica cobrado antes das concessões às operadoras privadas – os quais chegavam custar o valor de um carro popular.

Por isso, no mesmo dia em que eu comemoro mais um ano de vida, na condição de presidente do Guarujá Convention and Visitor Bureau (Visite Guarujá), me considero presenteada com o sucesso da implantação do projeto piloto dos beach clubs nas praias da Enseada, Pitangueiras e Pernambuco.

Um presente que atrai turistas e moradores em busca de conforto, segurança e qualidade de serviços; capaz de elevar o ingresso de receitas e gerar postos de trabalho para a população residente, com uso de mão de obra especializada.

Somados ao investimento privado mínimo de R$ 329 mil em estrutura, os beach clubs também entregam, como contrapartida, mil cestas básicas para o Fundo Social de Solidariedade de Guarujá (FSS), “destinadas para as famílias em situação de vulnerabilidade social, com o devido recolhimento das devidas taxas de uso e ocupação do solo e publicidade”, de acordo com edital publicado no Diário Oficial pelo poder público municipal, no dia 23/12/2021.

Casa Grande Centro de Convenções e Exposições Ltda. (Enseada); Master Front Planejamento de Eventos e Comunicação – EIRELI (Pitangueiras) e Administradora Jardim Acapulco Ltda. (Pernambuco), parabéns pela iniciativa de proporcionarem experiências diferenciadas a moradores e visitantes em Guarujá.

 

Maria Laudenir Oliveira – Lau
Presidente do GCVB – Visite Guarujá

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp